terça-feira, 1 de maio de 2012

Terapia Manual:Movimentos da coluna Vertebral


São usadas certas convenções para descrever todo o movimento vertebral. O segmento de movimento vertebral é formado pelas vértebras adjacentes superior e inferior e pelo disco e estruturas ligamentares situadas entre elas. Por convenção, o movimento da vértebra superior é descrito em relação ao da inferior.

O movimento é ainda definido como o deslocamento da superfície superior ou anterior do corpo vertebral. Para descrever a rotação, a superfície anterior é usada prefercncialmeme aos elementos do arco posterior. Por exemplo, na rotação de T3 para a direita em relação a T4, a superfície anterior de T3 vira para a direita e o processo espinhoso é desviado para a esquerda. Assim sendo, lembre-se de que as descrições são relativas à superfície anterior ou superior do corpo vertebral. Além de descrever características de um segmento do movimento vertebral, falamos também de movimentos de grupos de vértebras (três ou mais).

O movimento vertebral também é descrito, sob o ponto de vista anatómico, em relação aos planos cardinais do corpo, por meio do sistema de coordenadas cartesianas. Quase toda a literatura clínica se refere aos planos e eixos cardinais em suas descrições anatómicas, ao passo que a literatura de pesquisa mecânica utiliza intensamente o sistema de coordenadas.  movimento pode ser descrito como rotação em torno de um eixo e translação ao longo de um eixo. enquanto o corpo se move dentro de um dos planos cardinais. Por convenção, o eixo horizontal é o eixo x, o vertical é o eixo y e o eixo ântero-posterior é o eixo z.

O plano coronal é o xy, o plano sagilal é o plano y; e o plano horizontal é o plano xz. A capacidade de girar em torno de um eixo e de transladar ao longo de um eixo resulta em 6 df para cada vértebra. O movimento vertebral pode então ser desrrito como movimento de rotação (rotação em torno de um eixo) e movimento de translação (translação ao longo de um eixo).

Terminologia

Atualmente a convenção da prática clínica descreve o movimento vertebral nos seguintes termos: inclinação para a frente, inclinação para trás, inclinação lateral, direita e esquerda, e rotação, direita e esquerda.

Inclinação para a frente

Uma vértebra superior gira anteriormente em torno do eixo x e translada ligeiramente para a frente ao longo do eixo z. Na inclinação para a frente (Fig. ). 


O ligamento longitudinal anterior se torna um pouco mais frouxo, é exercida pressão posterior sobre o disco inter vertebral e o ligamento longitudinal posterior se torna mais tenso, como ocorre com o ligamento amarelo, com os ligamentos imeiespinhosos e stipraespinhosos.
 
A faceta zigapofisiária inferior da vértebra superior se move superiormente em relação à faceta zigapofisiária superior da vértebra inferior. É o que foi descrito como "abertura" ou "flexão" da faceia.

 Inclinação para trás

Na inclinação para trás, a vértebra gira para irás em torno do eixo x e se move posteriormente ao longo do
eixo : (Fig. ). 


 
O ligamento longitudinal anterior se torna mais tenso. Há menos tensão sobre o ligamento posterior, sobre o ligamento amarelo e sobre os ligamentos interespinhosos e supra-espinhosos. A faceta zigapofisiária inferior do segmento superior desliza inferior mente em relação à faceta zigapofisiária superior da vértebra inferior. Diz-se que as facetas se "fecharam" ou se "estenderam". A inclinação para a frente e a inclinação para trás resultam num movimento semelhante ao do acordeão, de abertura e fechamento das articulações zigapofisiárias. Se algo interferir na capacidade que a articulação da faceta possui de abrir-se ou fechar-se, ocorrerá restrição do movimento na inclinação para afrente ou na inclinação para trás.

Inclinação lateral

Na inclinação lateral há rotação em torno do eixo ântero-posterior z e translação ao longo do eixo horizontal x. A inclinação lateral é raramente um movimento puro, sendo normalmente acoplada à rotação. Na inclinação para a direita, a articulação zigapofisiária direita se "fecha"e a esquerda se "abre". Interferência na capacidade de uma faceta de abrir-se ou ferhar-se pode afetar a inclinação lateral e o movimento rotatorio acoplado.

Rotação

A rotação de uma vértebra é descrita como rotação em torno do eixo y, sendo que o movimento de
translação depende do segmento vertebral envolvido.
A rotação é sempre acoplada à inclinação lateral, com exceção da articulação atlantoaxial.

Movimentos Acoplados

A flexão lateral e a rotação são movimentos acoplados e não ocorrem individualmente. Em alguns casos, a rotação é acoplada na mesma direção que a inclinação lateial (p.ex., inclinação lateral para a direita, rotação para a direita) e, outras vezes, em direções opostas (p.ex..inclinaçào lateral para a direita, rotação para a esquerda) Os movimentos acoplados mudam em resposta às curvas ãntero-posteriores do eixo vertebral.


 GREENMAN E P, Princípios de Medicina Manual.2° ed., ed, Manole, São Paulo,2001




Nenhum comentário:

Postar um comentário